sábado, 10 de fevereiro de 2007

Sombra.




Tudo escuro.
Se há alguém ao meu lado,
Que grite agora,
Por favor!

Vejo apenas a dança
de casais cegos e surdos.
Carrossel de luzes
que apenas vejo de longe.

Tento achar um par...
A sombra é mais forte.

Dançam no silêncio.
A luz não deixa que eles me vejam.

Melhor assim.

Melhor seria que eu não os vissem também...

Havia algumas que me viam
solitário.

Pensei que chegariam perto.

Mas sempre arranjam um outro par.

A luz não chega até aqui.

A sombra não deixa que eu saia daqui.
Não quero continuar assim.

A sombra não me deixa enxergar
quem está perto.

Se há alguém ao meu lado.
Que grite agora,
Por favor!

Por favor...

2 comentários:

  1. Só uma coisa...
    Quem gritar cê tá bafando é???

    AOUAhoIUAHoiUHA

    Mais uma das suas obras velho...E mais uma vez tento absorver algo...E mais uma vez absorvo algo...E mais uma vez eu te entendo...E mais uma vez eu te digo...Você é o cara!

    Eu nem vou gritar porra niuma aqui, mas koké coisa estarei aqui do lado, com meu velho chinelo de cangaceiro. Sim, aqueles velhos e desgastados, de couro de boi.
    Se precisar tocarei mais uma nota da minha velha sanfona!

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. AHHHHHHHHH
    gritei :D
    Afe, podre esse meu comentário.
    Mas vamos para a parte importante...
    Meio angustiado esse poema.
    Mas qualquer que seja o motivo para vc ter escrito ele (eu acho que foi um desabafo meio timido), estarei aqui para gritar no seu pé do ouvido sempre.
    AAAAAAAAAh
    Beijão na testa. :*

    ResponderExcluir