segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Uma estrela de noite esquecida



Na esvoaçante dança entre flashes
e sons altos, vagos, vários
a turvar os sentidos,
seu corpo evola o sublime
nas voltas e mãos a reger
meus instáveis olhos.

Sua voz ao meu ouvido,
silenciando céus e chãos,
sussurra um nome
e um sorriso cochicha um beijo.

Na imensidão de brilhos,
o negro espaço se faz infindo fogo
de estrelas e explosões;
tempo e luz contemplam mãos
que decalcam o infinito
em suores e arrepios.

...

Outra estrela agora surge
acordando o ingrato gosto
de ressaca. E da passada noite
apenas o vácuo de alguém
desfeito no escuro vasto
de minha memória.



8 comentários:

  1. " Sua voz ao meu ouvido,
    silenciando céus e chãos,
    sussurra um nome
    e um sorriso cochicha um beijo."
    lindoo!

    ResponderExcluir
  2. Isso tah me dando um trabalho!

    ResponderExcluir
  3. ESSE MENINO NÉ BRINQUEDO NÃO! ESTÁ PRATICAMENTE UM CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE! ABRAÇOS.

    ResponderExcluir